terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Educação & Cidadania: AFRID um exemplo de sucesso!

O projeto AFRID - Atividades Físicas e Recreativas para a Terceira Idade, da Faculdade de Educação Física / Universidade Federal de Uberlândia visa oferecer atividades físicas bem como atividades recreativas, artísticas, expressiva e de reabilitação para os idosos, buscando, dessa forma promover maior bem-estar e qualidade de vida para eles.
Saiba mais em


Universidade Federal de Uberlândia

Faculdade de Educação Física
Secretaria Executiva - Fernando: (34) 3218-2920 / José Nilson: (34) 3218-2912
Horário de Atendimento: 8h às 11h - 13h às 17h30
ENDEREÇO: Rua Benjamin Constant, 1286
Bairro Aparecida
Uberlândia-MG - CEP 38400-678
Fone: (34) 3218-2910 / 3218-2912

Painel da ONU sobre Sustentabilidade Global afirma que futuro precisa ser baseado em custos reais

Agora mais do que nunca, os líderes precisam se concentrar no que mais importa – a resiliência de longo prazo das pessoas e do planeta. É o que afirma o o Painel de Alto Nível sobre Sustentabilidade Global, que apresentou hoje (30/1) seu relatório ao Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em Adis Abeba (Etiópia).
O Painel é composto por 22 membros e foi criado pelo Secretário-Geral em agosto de 2010 para formular um novo projeto de desenvolvimento sustentável e de baixo carbono. A Ministra do Meio Ambiente do Governo do Brasil, Izabella Teixeira, integra o Painel.
Copresidido pelo presidente finlandês Tarja Halonen e pelo presidente sul-africano Jacob Zuma, o Painel lançou seu relatório final – “Pessoas Resilientes, Planeta Resiliente: Um Futuro que Vale Escolher” – com 56 recomendações para colocar em prática o desenvolvimento sustentável e integrá-lo às políticas econômicas o mais rápido possível.
Ban Ki-moon, ao receber o relatório do Painel, afirmou que o desenvolvimento sustentável é uma prioridade para seu segundo mandato. “Precisamos traçar um novo rumo, mais sustentável para o futuro, que fortalece a igualdade e o crescimento econômico ao mesmo tempo em que protege o nosso planeta”.
Pessoas Resilientes, Planeta Resiliente” pede pela integração dos custos sociais e ambientais do mesmo modo como são os preços mundiais e as medidas de atividades econômicas. Exige também um conjunto de indicadores de desenvolvimento sustentável que vão além da abordagem tradicional do Produto Interno Bruto (PIB) e recomenda que os governos desenvolvam e apliquem um conjunto de objetivos de desenvolvimento sustentável que possam mobilizar a ação global e ajudar a monitorar o progresso.
O relatório do Painel de Alto Nível é uma contribuição significativa para o trabalho da ONU no campo do desenvolvimento sustentável e proporciona uma contribuição oportuna para a preparação da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) no Brasil em junho de 2012.
Os 22 membros do Painel de Alto Nível sobre Sustentabilidade Global incluiu chefes e ex-chefes de Estado, ministros e representantes do setor privado e da sociedade civil.
O relatório está disponível em www.un.org/gsp
Para mais informações, entre em contato com Dan Shepard, do Departamento de Informação Pública da ONU, tel. +1 646 675-3286, e-mail shepard@un.org ou Julie Larsen, do Secretariado do Painel de Alto Nível sobre Sustentabilidade Global, tel +1 212.963.6894 e-mail: larsenj@un.org.

MUnA / UFU abre mostra de desenhos

O Museu Universitário de Arte da Universidade Federal de Uberlândia (MUnA/UFU) abriu, no sábado, 28 de janeiro, a mostra de desenhos “O vazio e o inacabado”, do artista plástico e professor Paulo Lima Buenoz. Neste dia, o espaço receberá os visitantes das 10 às 13 horas e, de 31 de janeiro a 2 de março, das 8h30 às 17 horas.

Museu Universitário de Arte - MUnA - Praça Cícero Macedo n˚309, bairro Fundinho

Período de visitação: 30 de janeiro a 2 de março, de segunda a sexta, das 8h30 às 17h.

Telefones: (34) 3231-9121 e 3231-7708.

Site: www.muna.ufu.br

FSP da USP/CURSO DE VERÃO 2012

A Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP realizará entre os dias 6 e 10 de fevereiro das 8 às 13 horas, em seu Programa de Cursos de Verão 2012, o curso Otimizando o impacto no atendimento nutricional para Doenças Crônicas Não Transmissíveis.
O objetivo é situar o problema dessas doenças e sua relação com a nutrição, além de discutir o desenvolvimento de protocolos de atendimento nutricional com foco na redução do risco e controle das DCNT em adultos e idosos.
O corpo docente será formado pelos professores da FSP: Sandra Roberta Gouvea Ferreira Vivolo, Marcelo Macedo Rogero, Samantha Caesar de Andrade e Viviane Laudelino Vieira.
06/02/2012 - 10/02/2012
08:00 - 13:00
(11) 3061-7882
Evento Pago (Taxa de R$ 250)
FSP – Faculdade de Saúde Pública
Av. Dr. Arnaldo, 715, São Paulo- SP

MAC inaugura sede no Ibirapuera com mostra de esculturas

No último sábado (28), a nova sede do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP foi finalmente inaugurada, no antigo prédio do Detran, ao lado do Parque do Ibirapuera. O evento foi marcado pela presença de diversas personalidades políticas e artísticas e pela abertura da exposição O Tridimensional no Acervo do MAC: Uma antologia, contando com 17 esculturas de artistas nacionais e internacionais. (...)

O MAC da Cidade Universitária continuará com suas exposições até que a transferência seja completada. O Museu fica na Rua da Praça do Relógio, 160, Cidade Universitária, São Paulo. Funciona de terça-feira a domingo, das 10 às 18 horas (exceto nas terças e quintas-feiras, onde o horário é estendido até as 20 horas).
O MAC Ibirapuera fica no antigo prédio do Detran, à Av. Pedro Álvares Cabral, 1301, Moema, São Paulo. O Museu já está aberto a visitantes de terça a domingo das 10 às 18 horas.
A entrada é franca nas duas sedes.
Mais informações: (11) 3091-3039 e (11) 5573-9932, site www.mac.usp.br

Centro Cultural UFMG - Teatro

JUCA, UM JECA EM DURA VIDA DE SOLTEIRO
de 06 de janeiro a 04 de março - sexta e sábado 20:30h - Domingo 19h
Classificação etária: 12 anos
Campanha de Popularização de Teatro e Dança de Minas Gerais.
Contato: 3433-2630 e 9608-8961 -

e-mail:nunescustodio@yahoo.com.br

MEDÉIA ZONAMORTA - Verão Arte Contemporânea
03,04,05,10,11 e 12 de Fevereiro às 20h.
Classificação etária 18 anos. Ingressos a R$5,00 e R$10,00
Contato: producao@teatroinvertido.com.br


Inauguração da Exposição Internacional SGRA‏

Museu Internacional de Arte Contemporânea de São Gonçalo do Rio Abaixo
Patronos: Antonio Gualda e Deia Leal
Centro Cultural de São Gonçalo do Rio Abaixo – MG

No dia 26 de janeiro de 2012, às 18 horas, o município de São Gonçalo do Rio Abaixo, no Estado de Minas Gerais, Brasil, inaugurou o seu Museu Internacional de Arte Contemporânea. Os Patronos do Museu são os artistas Antonio Gualda e Deia Leal. Antonio Gualda é espanhol (artista plástico, compositor sinfônico e escritor), e o responsável pela doação do acervo de 65 obras premiadas em concursos internacionais de Artes Plásticas da Asociación Cultural Valentín Ruiz Aznar, de Granada, Espanha. Deia Leal estabeleceu o contato entre Antonio Gualda e as autoridades constituídas de São Gonçalo do Rio Abaixo e assessorou os representantes do município nos trâmites documentais, termos de doação de obras com os artistas, termos de compromissos entre as partes, documentação alfandegária e curadoria do acervo.
A Exposição Internacional de Arte Contemporânea de São Gonçalo do Rio Abaixo foi isntalada no Centro Cultural da cidade e mostra parte do rico acervo constituído pelo Museu. Nesta primeira exposição, foi exposta apenas uma obra de cada artista.


Artistas participantes

Internacionais: Edith Beatriz Lozano, Gladys Torres, Silvia Lissa, Jesús Mora Nóguez, Raymond Furlotte, Antonio Pérez Cares, Yánet Antonia Bustamante Palma, Marcelino González Porras, Enriqueta Hueso Martínez, Antonio Gualda, Faustino Velasco Municio, María Jesús C. Rodríguez, María Carmen L. Melgar, Paloma Soler-Espiauba Conesa, Carlos Puente Jiménez, Juan-Carlos Julián Cebrián, Pilar Segura Badía, Raquel Concepción Zurro Carro, Faba, Bouchra Jelloul, Jean Patrick Joël Tronca, Michel Charles Aucoin, Beata Zoltai, Claudia Scaffidi, Giuseppina Gravina, María Franca Grisolía, María Teresa di Nardo, Enza Clapis, Diana Franco, Diana Mirella Estrada, Francisca Magaña Carrillo, Héctor Cándido C. Maciel, María Hortensia Blanco de Crespo, Víctor Gabriel Ayala Rodríguez, Erick Ulises Andía Pomar, Jéssica Celmi Coral, Helena Maria Galvão Amaral, Tãnia de Jesus Bailão Lopes, Florbela Moreira, Tatiana Galatch, Dilek Bilhan, Zeynep Boynukalin, Julia Elena Pérez Veiras, Sebastián Correa Dómine.

Brasileiros: Camaleão, Camilo Leal, Deia Leal, DonLeal, Elias Layon, Flávio Porto e Maria Terezinha de Lima.

Autoridades presentes na solenidade:

Raimundo Nonato Barcelos, Prefeito de São Gonçalo do Rio Abaixo; João Israel, Prefeito de Itabira; João Cunha, Prefeito de Serpa - Portugal; Júlia Paula Costa, Prefeita de Caminha - Portugal; João Victor Dias, Assessor de Patrimônio Histórico de São Gonçalo do Rio Abaixo; Miriam Blonski, Secretária de Cultura de São Gonçalo do Rio Abaixo, Goretti de Freitas, Presidente do Clube de Escritores de Ipatinga, e Claydes Ricardo, coordenadora da ONG Consciência Jovem de Santa Bárbara.

Curadores da Exposição: Deia Leal, Gabriel Bicalho, J. B. Donadon-Leal e J S Ferreira.

Exposição aberta à visitação de seguna a sexta-feira, das 9h às 17h
Centro Cultural de São Gonçalo do Rio Abaixo - Minas Gerais –Brasil

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Leitura reflexiva!!!

Eu lamento, tu choras, ele morre, nós POSTERGAMOS!

Por Alessandra Leles Rocha

Postergar. Essa parece mesmo ser a palavra de ordem entre os seres humanos. Postergamos as obrigações, os compromissos, as preocupações, as necessidades,... a vida. Quando nos damos conta, aquilo que tanto amedronta e que não temos de fato jeito algum de postergar nos bate a porta: a morte. É! Nesse postergar sem grande malícia que o retardar das ações sempre culmina em negligência regada a muito choro e pesar.
A começar da própria saúde esse mal se conta. Sabemos que o corpo envelhece todos os dias, independente da idade, e por essa razão, cuidar e prevenir é sempre importante para não permitir que o desgaste tome conta das “peças”, muitas delas sem nenhum tipo de reposição. Mas o medo, a ignorância e tantas outras razões para não agir a tempo e à hora dispersam nosso consciente, deixando-nos vulneráveis as obras da fatalidade. Não cabe aos outros a inspeção regular e criteriosa de nossa saúde; cabe a nós, todos os dias, reparar com mais atenção no modo como anda funcionando a nossa “carcaça”, desde as avarias externas e visíveis até os mal-estares internos e desconfortantes, e ir a busca de solução para os problemas.
Na mesma toada, segue a vida cotidiana em outras vertentes. O que aconteceu no centro histórico do Rio de Janeiro, na noite de ontem 1, descreve bem o nosso “pouco caso” generalizado. Enceguecidos há tempos pela pujança do progresso deixamos de lado a história das cidades, seu patrimônio artístico-cultural, suas lembranças materiais, registros de um tempo que direta ou indiretamente se reflete sobre nós, se perder entre o descaso, a omissão, a pouca vontade em intervir e proteger contra as ações impensadas do ser humano e/ou ao próprio metamorfismo do tempo. Mas diferentemente do corpo humano, o patrimônio mobiliário (ou material) não tem voz ou consciência para manifestar os desgastes que lhe afligem externa e/ou internamente; eles estão lá, visíveis ou não, esperando que o ser humano, no alto de sua capacidade intelectual, possa percebê-los e tomar as devidas providências. E aí, seja o cidadão, transeunte comum do lugar, ou os responsáveis técnicos pelo atendimento a essa demanda de serviços, para atuar periodicamente sem espaços para a protelação.
Muito interessante o olhar humano sobre essas questões, porque ainda que a urbanização atual nos imprima em seus códigos de ética, de postura, de legislação uma infinitude de orientações sobre o certo e o errado, os limites que atendam ao nosso bem estar e segurança, tudo parece ser pertinente apenas ao novo, ao contemporâneo, ao âmbito de vigência destes. Entretanto, nesse conveniente “lapso de memória”, a vida se constrói entrelaçada entre o passado, o presente e as aspirações de futuro em uma miscelânea de interesses, de necessidades, de prioridades na organização do espaço geográfico. O fato de não cuidarmos “disso” ou “daquilo” nos coloca sempre em posição de risco iminente. Como prever se naquele fatídico momento A, B ou C estaria transitando na via pública ou mesmo dentro de um dos imóveis destruídos? Como prever se a queda de um edifício não ceifaria de nós a presença de alguém muito especial? Como prever?...
É! Discutimos com veemência e propriedade sobre a atitude “inesperada” dos terroristas que destruíram em 2001, as Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova Iorque, colocando abaixo toneladas de concreto e vidas, sem que nada pudesse ser de fato feito em prol de salvá-las (em razão da mais absoluta surpresa da ação); mas, bem debaixo dos nossos olhos, não nos preocupamos Brasil afora que centenas de milhares de edificações, que podem a qualquer momento vir ao solo, sejam utilizadas e ocupadas (com ou sem autorização dos órgãos competentes) por milhares de pessoas, todos os dias, e não sejam fiscalizadas periodicamente e/ou postas em adequação aos padrões de segurança exigidos.
O fato de sermos postergadores crônicos, infelizmente não nos isenta das nossas responsabilidades humanas e cidadãs. Ao nos posicionarmos “em cima do muro”, acreditando que de lá temos a melhor visão e estamos a salvo das “intempéries”, nos declaramos absolutamente vulneráveis, desprotegidos e ingenuamente crédulos por delegar aos outros o som da nossa própria voz; tornamo-nos vítimas de nossas “fatalidades construídas”.
Tanta gente acha engraçado colocar o poder econômico como condição sine qua non para poder cobrar o direito de satisfação e qualidade sobre um determinado produto ou serviço; mas, se esquece que diariamente, independente da classe social, todos pagamos caríssimo a nossa existência sobre a Terra e não cumprimos verdadeira e satisfatoriamente essa função fiscalizadora sobre os nossos “investimentos”. Poucos são os que enxergam os problemas, antecipam as catástrofes (sejam elas em menor ou maior escala) e saem em busca de garantir o cumprimento dos direitos (tão parcos frente às obrigações), seja nos órgãos de defesa do consumidor ou do cidadão. A grande maioria posterga amparada na reconhecida morosidade da justiça; que apesar de real, não significa que a lei os deixará sem resposta. E se podemos postergar tudo, a demora em uma resposta da lei não deveria incomodar, não é mesmo?

Você já ouviu falar sobre a Casa Histórica de Deodoro?

Um dos mais importantes sítios da História recente do país, a Casa Histórica de Deodoro, um sobrado localizado no número 197 da Praça da República, esquina com Rua Azevedo Coutinho, está sob responsabilidade administrativa do Museu Histórico do Exército. Além de servir de residência para o Marechal Deodoro da Fonseca, proclamador da República Brasileira, foi na Casa Histórica de Deodoro, chamada assim desde 1889, que foi decidido o primeiro Ministério Republicano, no dia 09 de novembro de 1889.

Como todas as residências construídas no início do século XIX, a Casa Histórica de Deodoro possui características típicas de um sobrado urbano residencial do período colonial. Foi construída com pedra, cal e óleo de baleia, materiais fartamente utilizados pelos portugueses nas construções do período. Algumas paredes internas foram levantadas originalmente em taipa, pau-a-pique e madeira, mais tarde substituídas por paredes de tijolos, nas diversas reformas realizadas. Entretanto, sua fachada conserva as características originais, apresentando as ombreiras enquadradas em pedras e várias aberturas. Suas telhas foram feitas artesanalmente, moldadas “nas coxas” dos escravos .

Assim como em todo sobrado do final do período colonial, a Casa tinha os seus dois pavimentos com funções bem definidas. O andar térreo era destinado à guarda dos carros puxados por animais (razão pela qual existe uma entrada central mais larga), como habitação para os escravos da família, ou mesmo para instalação de atividades comerciais. Portanto, constituía-se na parte menos nobre do imóvel, uma vez que era dedicada ao trabalho braçal, coisa desprezada pela sociedade da época (lembremos que a construção da Casa está inserida num contexto de uma sociedade escravocrata).

No andar superior ficava a verdadeira residência da família. Havia uma varanda na parte frontal, de onde podia se observar o movimento da rua; a sala de receber, constituída de poucos móveis; um corredor que fazia a ligação desta para as alcovas, que eram os quartos, os quais eram desprovidos de janelas para o exterior, característicos dos hábitos lusitanos de recanto familiar; e finalmente, o principal ponto de reunião da família, a sala de jantar.

Exposições: terça a sexta das 10 às 17hs
Entrada franca
End.: Praça da República, nº 197, Centro
Tel.: (21)2222-0126

IBC - Escola Especializada para alunos com baixa visão e cegos / Matrículas abertas para 2012

Matrículas abertas para 2012


Do Pré-Escolar ao 9º ano:
de 7 de novembro a 8 de dezembro de 2011
Segunda a quinta-feira, das 8:00 às 10:00hs

Estimulação Precoce - Bebês:
de 12 de março a 27 de julho de 2012
Segunda a quinta-feira, das 8:00 às 10:00hs

Reabilitação - Jovens e adultos:
a partir de 1º de fevereiro de 2012
Segunda a sexta-feira, das 8:00 às 10:00hs

Para maiores informações, ligue: (21)3478-4413 ou envie mensagem para ibc@ibc.gov.br

Campanha de coleta lixo eletrônico entra em fase final!!!

Se você tem algum tipo de resíduo eletrônico em casa ou no escritório e quer se desfazer dele de forma correta, ainda dá tempo de aderir à Campanha Lixo Eletrônico, promovida pela rede de escolas de informática Microcamp, em parceria com o Projeto Meu Brasil e a ONG Oxigênio.

A campanha será encerrada no próximo dia 31 de janeiro e todas as unidades do grupo estão recebendo as doações, totalizando
140 pontos de coleta. Tudo o que for arrecadado, a Oxigênio enviará ao Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC). Uma vez recuperados, os equipamentos serão destinados a escolas e órgãos púbicos.

Participe!

Rio de Janeiro sedia debate mundial sobre hanseníase e direitos humanos

1º Seminário Internacional de Hanseníase e Direitos Humanos
Data: 01º de fevereiro de 2012, a partir das 8h30
Local: Hotel Novo Mundo – Praia do Flamengo, 20 – Rio de Janeiro, RJ

Mais informações:
Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase – MORHAN
Assessoria de Comunicação: imprensa.morhan@gmail.com
Renata Fontoura (21) 9615-0648 / Bel Levy (21) 7240-4488
ou

Abertas as inscrições para declarações orais na 56ª Comissão sobre a Situação da Mulher

De 28 de fevereiro a 6 de março, Comissão sobre a Situação da Mulher (CSW, na sigla em inglês) discutirá empoderamento econômico das mulheres rurais. Inscrições para declarações orais seguem abertas até o dia 17 de fevereiro.

Brasília – A Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres) comunica a abertura do período de inscrições para declarações orais na 56ª Sessão da Comissão sobre a Situação da Mulher. As inscrições poderão ser feitas até o dia 17 de fevereiro por meio do site http://www.unwomen.org/how-we-work/csw/csw56-general-discussion-sign-up/
Será dada prioridade às representantes de ONGs (organizações não governamentais) que abordarem o tema principal da reunião: “O empoderamento das mulheres rurais e seu papel na erradicação da pobreza e da fome, desenvolvimento e desafios atuais”, assim como representantes das mulheres rurais, organizações feministas, movimento de mulheres, entre outras. Podem inscrever-se, ainda, ONGs que possui caráter consultivo junto ao Conselho Econômico e Social.
A participação das ONGs é fundamental para o alto nível dos debates e tem potencial de influenciar positivamente os resultados da CSW. Dúvidas e esclarecimentos serão dados por meio do e-mail csw@unwomen.org.
Além do tema central, os debates na 56ª sessão da CSW vão acontecer em cinco painéis:
Painel 1 – 28/2/2012, das 10h às 13h (horário de Nova York)
Tema prioritário: O empoderamento das mulheres rurais e seu papel na erradicação da fome e da pobreza, desenvolvimento e desafios atuais
Focos: empoderamento econômico das mulheres rurais
Painel 2 – 29/2/2012, das 15h às 18h (horário de Nova York)
Tema prioritário: o empoderamento das mulheres rurais e seu papel na erradicação da fome e da pobreza, desenvolvimento e desafios atuais
Foco: o papel do gênero de resposta de governança e instituições para o empoderamento das mulheres rurais
Painel 3 – 1/3/2012, das 10h às 13h (horário de Nova York)
Tema da revisão: financiamento para a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres
Foco: experiências nacionais na implementação das conclusões acordadas sobre o financiamento para a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres
Painel 4 – 1/3/2012, das 15h às 18h (horário de Nova York)
Tema da revisão: financiamento para a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres
Foco: o progresso em financiamento para a igualdade de gênero a partir da perspectiva das organizações internacionais e parceiros de desenvolvimento multilateral
Painel 5 – 6/3/2012, das 10h às 13h (horário de Nova York)
Questão emergente: engajar mulheres e homens jovens, meninas e meninos para promover a igualdade de gênero

Globalização econômica deve ter direitos humanos como referência, diz especialista da ONU

O especialista das Nações Unidas sobre o Direito à Alimentação, Olivier De Schutter, pediu hoje (26/01) aos ministros reunidos no Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos esta semana, que se reconheça a relação dos direitos humanos com a globalização. “Os direitos humanos devem penetrar e dar uma nova direção à globalização de forma que as estratégias que estão sendo procuradas possam retomar e expandir a economia global”.
De Schutter sustenta que “os acordos de investimento e trocas bilaterais são o portão através do qual a globalização atravessa pelo quadro econômico de um país e frequentemente sacode as bases de uma economia. (Por isso), os governos dos Estados soberanos devem submeter qualquer acordo à ‘prova dos direitos humanos’, avaliando os impactos afim de cumprir as obrigações com os seus cidadãos”.
“Realizar uma Avaliação dos Impactos nos Direitos Humanos é proteger os direitos inalienáveis de cada pessoa diante de mudanças nas condições econômicas. Os Estados não devem forçar acordos que incapacitem sua competência em preservar seus compromissos com os direitos humanos, não importando o que a outra parte (envolvida no negócio) esteja disposta a oferecer, seja para acessar mercados externos ou para atrair investidores”.
De Schutter, que é o atual Relator Especial sobre o Direito à Alimentação, apresentará ao Conselho de Direitos Humanos da ONU um conjunto de princípios para avaliações sobre os impactos de acordos comerciais e de investimento sobre os direitos humanos. As negociações entre o governo da Índia e a Comissão Europeia sobre a criação de um Acordo de Livre Comércio podem ser tomadas como exemplo sobre o qual esses princípios poderiam atuar, uma vez que a liberalização das tarifas nos setores de laticínios e aves poderia ameaçar o sustento de 14 milhões de famílias de indianos que vivem da produção de leite.
O especialista da ONU acrescentou que “uma globalização indiferenciada pode jogar populações inteiras em situações de pobreza permanente. As consequências da liberalização tem impactos diretos sobre o direito à alimentação”.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Curso: Formação em Audiodescrição - Roteiro e produção / 05 a 09 de março

Objetivo Geral: Formar profissionais para atuar e desenvolver audiodescrição em produtos culturais e de comunicação.

Horário: dias 05 e 09 das 8h30 às 13h30
dias 06, 07 e 08 das 8h30 às 17h30
Público alvo: Tradutores, editores, comunicólogos, jornalistas, produtores culturais, cineastas, atores, professores e interessados em geral.

Investimento: R$ 460,00 por pessoa e R$400,00 para estudantes com comprovante.


Local: Auditório da Fundação Dorina Nowill para Cegos
Rua Doutor Diogo de Faria, 558 – Vila Clementino – São Paulo – SP

Mais informações: cursos@fundacaodorina.org.br
Todos os participantes receberão certificado e apostila exclusiva do curso.
- A Fundação Dorina Nowill para Cegos se reserva no direito de cancelar o curso com até 3 dias de antecedência caso a quantidade mínima de vagas não seja preenchidas.
- Em caso de desistência do aluno, o reembolso será de 70% do valor pago.
- Até a data do curso o aluno deverá ter efetuado o pagamento total.

Para se inscrever no curso, preencha o formulário em http://www.fundacaodorina.org.br/o-que-fazemos/cursos-e-palestras/curso.php?id=5&/Formação em Audiodescrição - Roteiro e produção 

Um domingo na Casa de Rui Barbosa

O projeto Um domingo na Casa de Rui Barbosa terá como tema em fevereiro a história do dinheiro. A dupla do conto Axupé & Axullé coordenará uma série de atividades lúdicas, através das quais as crianças poderão conhecer curiosidades sobre a circulação monetária. A programação inclui contação de história e a oficina “Descobrindo nosso dinheiro”, quando serão apresentadas aos participantes as diversas moedas que já circularam no país.
Para os jovens e adultos, está prevista uma visita dramatizada, conduzida por atores, ao Museu Casa de Rui Barbosa. Em função das datas comemorativas de fevereiro como o Dia do Atleta Profissional e o Dia do Desportista, a visita vai contar com um momento diferente. Na ocasião, será destacada a homenagem que Rui Barbosa recebeu pela apresentação de pareceres sobre a obrigatoriedade da extensão da ginástica nas escolas primárias, inclusive prevendo a equiparação dos professores de educação física aos demais professores.
O evento acontece no dia 5 de fevereiro, a partir das 14h30. A entrada é franca.

Programação:

Para crianças - das 15 às 16h30

- Contação de histórias - “O Casamento da Dona Baratinha” (as aventuras de uma Baratinha que, pelo fato de ter achado algum dinheiro, encontra vários pretendentes para se casar).

- Oficina- “Descobrindo o nosso dinheiro”: as crianças poderão, de forma bem animada, conhecer as moedas que já circularam em nosso país.

Para jovens e adultos - a partir das 14h30
- Visita dramatizada ao Museu Casa de Rui Barbosa. Atores conduzirão os participantes. Horários: das 14h30 às 15h20 e das 16h30 às 17h20. O número máximo de visitantes por grupo é de 30 pessoas. Serão distribuídas senhas.

Prorrogado prazo de inscrição no Programa Ciência sem Fronteiras

O Programa Ciência sem Fronteiras, do Governo Federal, prorrogou para o dia 31 de janeiro de 2012 o prazo final para as incrições nas bolsas de graduação sanduíche.

Estudantes que desejam obter bolsas para estudar na Alemanha, nos Estados Unidos, na França, na Itália e no Reino Unido devem ficar atentos aos critérios para inscrição e aprovação, dispostos pelas chamadas públicas divulgadas pela CAPES e CNPq no endereço http://www.cienciasemfronteiras.gov.br.

As demais datas do cronograma estabelecido nos editais permanecem inalteradas.

Mais informações neste link.

Lições de Cidadania: O Zoológico de Brasília criou um Grupo de Pesquisa em Atividades Especiais (GPAE) para melhor atender às pessoas com deficiência.

Acessibilidade
O Zoológico de Brasília criou um Grupo de Pesquisa em Atividades Especiais (GPAE) para melhor atender às pessoas com deficiência. A sede do grupo foi instalada na área central do parque e conta uma estrutura toda especial para receber esse público. No local, por exemplo, há computadores modernos, que vão atender cadeirantes, cegos, surdos e mudos. A tecnologia vai permitir que um tetraplégico acesse um programa de informações ao fazer um simples movimento com a cabeça. Todos poderão fazer um passeio virtual pelo parque e conhecer de perto os bichos. Entre as atividades, estão programadas também visitas aos recintos dos animais e ao Museu de Taxidermia.
O Zoológico dá os primeiros passos para inclusão social. Mapas táteis foram espalhados pelo parque e 13 funcionários se formaram no Curso de Libras, oferecido pela instituição em parceria com a FAP/DF. Os investimentos não vão parar por aí. Em breve, serão revitalizados os banheiros, as calçadas e as placas dos recintos.
O Zoo também abre espaço para os profissionais com deficiência. Fazem parte da equipe de monitores uma cadeirante e uma pessoa com baixa visão. Tudo isso porque aqui ser “diferente é normal”.
Participe desse projeto e venha curtir essa aventura! Os interessados devem entrar em contato com a Superintendência de Educação e Lazer (SUEL), pelos telefones: (61)3445-7013/ 3445-7043. Anote também o telefone do Grupo de Pesquisa em Atividades Especiais (GPAE) (61) 3445-7009.

Evento no Centro Cultural UFMG vai chamar atenção para questões que envolvem travestis e transexuais

Na próxima segunda-feira, 30, a partir das 18h, será comemorado no Centro Cultural UFMG o Dia da Visibilidade Trans, celebrado oficialmente em todo país no dia 29 de janeiro.
O evento é promovido pelo Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT da UFMG (NUH/UFMG), pelo Núcleo Trans do Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual (Cellos – Trans) e parceiros como a Secretaria Municipal Adjunta de Direitos de Cidadania LGBT e a Coordenação Municipal de DST-Aids.

20% Off na Livraria Nobel de Uberlândia

20% Off na Livraria Nobel + Comprando nos dois departamentos , Papelaria e Livros de Decoração, Pão de queijo e café quentinho é por nossa conta !!!

A Livraria Nobel está com 20% de desconto em todos os itens de papelaria da loja!


Pra quem adora decorar a notícia também é boa: 20% em todos os livros de decoração!


Livraria Nobel
Pç. Cícero Macedo, 03
Fundinho
(34) 3229-0100 / 3229-0103