domingo, 2 de julho de 2017

Universidade Federal de Santa Maria promove curso sobre migração e refúgio para servidores públicos

Na semana em que se celebrou o Dia Mundial do Refugiado, lembrado em 20 de junho, a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) ofereceu na quarta-feira (21/06) uma capacitação em direitos humanos para servidores públicos que atuam na cidade. Curso “Migração, Refúgio e Políticas Públicas” reuniu funcionários de todos os níveis de governo e contou com a participação de refugiados, migrantes e brasileiros que moram no município. Iniciativa terá continuidade em julho.

Na semana em que se celebrou o Dia Mundial do Refugiado, lembrado em 20 de junho, a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) ofereceu na quarta-feira (21) uma capacitação em direitos humanos para servidores públicos que atuam na cidade. Curso “Migração, Refúgio e Políticas Públicas” reuniu funcionários de todos os níveis de governo e contou com a participação de refugiados, migrantes e brasileiros que moram no município. Iniciativa terá continuidade em julho.
“Além de afirmar o direito humano de migrar, o curso também trouxe a reflexão sobre o quanto as migrações têm a ensinar para o desenvolvimento da nossa sociedade, do reconhecimento do outro, do quanto somos desafiados a outros saberes e práticas sociais, para a compreensão de nós mesmos e das nossas instituições”, disse a docente Giuliana Berdin, coordenadora da Cátedra Sérgio Vieira de Mello na UFSM.
Um dos objetivos da formação era promover o debate sobre as atuais práticas de acolhimento, inserção social e integração local das populações migrantes e refugiadas que vivem em Santa Maria.
A capacitação apresentou uma proposta interdisciplinar de discussão, com especialistas e conteúdos do campo jurídico, da antropologia, das ciências sociais, das letras e da comunicação. Outro destaque foi a participação de migrantes e vítimas de deslocamento forçado que trouxeram para o debate as suas vivências e lutas por mais direitos.
“Esse evento foi fundamental para chamar o Estado, por meio de seus agentes, para dar atenção ao tema das migrações e sua responsabilidade em promover direitos humanos independentemente de sua nacionalidade”, explicou Luís Augusto Bittencourt Minchola, coordenador executivo da Cátedra.
A iniciativa terá ainda mais duas etapas, que ocorrerão nos próximos dias 3 e 7 de julho. O primeiro encontro do mês contará com a participação da Associação Antônio Vieira, organização parceira da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em Porto Alegre.
A Cátedra Sérgio Vieira de Mello é uma iniciativa do ACNUR no Brasil para difundir o ensino universitário sobre temas relacionados ao refúgio, promovendo a formação e a capacitação de professores e estudantes na área, além de priorizar o trabalho direto com refugiados e a sua inserção na vida acadêmica.
Na UFMS, Giuliana Berdin e Luís Augusto Bittencourt dirigem o Migraidh, Direitos Humanos e Mobilidade Humana Internacional – grupo de ensino, pesquisa e extensão que é responsável pela Cátedra na UFMS e que organiza o curso de capacitação de servidores públicos. Instituído em 2013, atualmente o Migraidh possui quatro linhas de atuação nas áreas do direito, antropologia, ciências sociais, psicologia, comunicação e letras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário